topo
Espiritualidade
25/01/2012 19:33:59 - Atualizado em 25/01/2012 19:33:59
Rua Castelos e Portas

Percorri as tumultuadas ruas, atravessei as largas avenidas, divisei os enormes arranha-céus, inspirei monóxido de carbono, ouvi todas as melodias, senti os odores mais diversos, atravessei os conglomerados barulhentos, povoados por toda espécie de coisas e gente. Imagens, lembranças, vivências, rostos e idéias; pensamentos, sonhos e projetos, imaginação; palavras, frases, fragmentos, roteiros, histórias inteiras; dores, tristezas, alegrias, êxtases, amores e rancores; medos, coragem; saúde, doença, corpo, células e sexualidade; vidas e mortes.

Há dias em que percorremos um determinado itinerário interior. Há também aquelas épocas em repetimos durante dias, meses e até anos o mesmo percurso, as mesmas ruas com as mesmas edificações, entramos nos mesmos prédios, sentamos no mesmo banco do mesmo jardim - provavelmente cada vez com menos flores e verde. Repetição! Caminho de angústia ou, pelo menos sem perspectivas. E sabe qual o destino final desse caminho? Um estacionamento! Ali é que acaba por se construir a casa de quem repete o mesmo roteiro interior, dia-a-dia. Um estacionamento! Vida sem progresso e crescimento. Estacionamento.

Até que um dia, resolve-se sair dessas ruas e desses roteiros que, consciente ou inconscientemente, nós traçamos. Pega-se o caminho do bosque, enfrenta-se a estrada de chão, o barro dos dias de chuva ou a poeira dos dias secos e vai-se adentrando mais e mais profundamente no interior da alma, deixando a "cidade grande", habitada por tantos e tantos barulhos, para se chegar àquele castelo interior.

Lamentava Catarina de Siena de poder colher da alma somente o superficial reflexo como de um poço muito obscuro e profundo. Agostinho já a tinha descrito como uma caverna de tesouros intocáveis, e tinha narrado a ânsia de percorrer os corredores e cubículos da memória no abissal palácio ou castelo da alma. De uma forma ou de outra, é preciso ir além e buscar o fundo desse poço ou adentrar nesse castelo, mesmo que precedido de vastos corredores e até algumas armadilhas.

Tereza D'Ávila o imaginou como um castelo de cristal, não um castelo fechado, mas como uma construção irregular de moradas ou aposentos. Explicou que no interior desse castelo há sete moradas. Esse castelo é a alma com profundezas a serem exploradas, diz ela, avisando às suas filhas que "há dentro de vós uma coisa mais piedosa do que aquilo que vemos no exterior. Entra-se nesse castelo da alma pela oração, nos seus graus cada vez mais despojados e puros que nos fazem experimentar a vida de Deus em nós".

Será que conseguiremos entrar nas "sete moradas" deste castelo? Talvez sim, talvez não. Mas de uma coisa sabemos: temos a chave e ela nos foi dada por Jesus, sua Divina Graça. Esta Graça é "acessada" pela oração. Então, ore! Transforme tudo em oração em sua vida. Não se preocupe se você está percorrendo este ou aquele corredor, se está entrando nesta ou naquela morada. Pode ser que para entrar numa destas sete moradas seja necessário você percorrer alguns outros cômodos e câmaras e até libertar alguns "cativos" em seu interior. Este é o mês de abrir estes pórticos, mas nunca sozinho: com Jesus ao seu lado, como força de libertação.

E se além de nosso próprio inconsciente está nosso espírito, podemos também através da oração entregar nas mãos do Senhor o inconsciente para que do espírito flua Luz para as áreas diversas que aí precisam ser curadas ou fortalecidas. Como o sono é o reinado do inconsciente, proponho que você faça concretamente neste mês o exercício de entregá-lo em oração ao Senhor. Faça a experiência! Anote suas intuições para que você perceba se há um movimento interno de mudança em seu interior.

Twitter Facebook Orkut Messenger
Linked Yahoo Meme Google Buzz Delicious
mySpace Blogger Sonico Digg

Este recurso será liberado em breve. Aguardando validação do servidor.

dados do(a) autor(a)
Padre Sérgio
 
twitter.com/padresergioluiz
facebook.com/falecompadresergio
padresergio.com
Pe. Sérgio é sacerdote Redentorista. Atualmente pároco em Juíz de Fora na Igreja da Glória. Procura guiar o seu ministério levando as pessoas a experimentarem a...
12 últimas atualizações
Contato

Paróquia da Glória
Avenida dos Andradas, 855 - Morro da Glória
CEP: 36036-050 - Juiz de Fora (MG)
Telefone: (032) 3215-1831
Siga-me nas redes sociais

Dados Técnicos

Este web site utiliza as tecnologias como HTM5 e CSS3 e é compatível com os seguintes navegadores:
Sistema web desenvolvido por:
Copyright © 2012 Todos os direitos reservados.