topo
Novena
05/02/2012 12:52:40 - Atualizado em 05/02/2012 13:25:38
Novena de São José

1° DIA - NAZARÉ DE JESUS E MARIA

Meditação:
Eles são de Nazaré, um lugarejo (800 habitantes?!) que não consta das Escrituras primeiras, as antigas. Lugarejo novo em terra sem liberdade. Sem significado também?

Nazaré. Que nome! Maria de Nazaré. José, o carpinteiro de Nazaré. Para o povo judeu a intuição é feminina. E o nome desta cidade é falado no feminino. Qual intuição vai nisso?

Nazaré é uma cidade muito querida dos primeiros cristãos. E para nós hoje também. Dizer "Nazaré" é cheio de evocações.

Nazaré se escreve em hebraico: NOTSERET, o feminino de "Notser". Significa: aquela que guarda. Que vocação contém este nome! Que mistério amável envolve este nome! Que segredo caberá aos jovens amorosos José e Maria?
v Destino, vocação, missão. Ambos serão guardadores do segredo da nova criação. Só que eles ainda não sabem.

Leia Isaias 27, 2-3: Naquele dia cantai à vinha deliciosa! Eu o Senhor, sou o guarda! Notsrah! Em todo o momento eu a rego. Para que nada sofra, Eu a guardo - etsorennah - noite e dia.

Deus guarda José de 18 anos e Maria de 16 anos. Podemos assim imaginá-los, guardados por Deus e dotados de uma experiência de amor-encontro-espera que rasga horizontes insuspeitados. José e Maria são de uma época (tão longe!) em que as pessoas assumiam cedo responsabilidades sociais como quem amadureceu ao sol da realidade. Tempos em que o ritmo (a)moroso era de se caminhar à pé ou viajar à cavalo, quando muito.

José é vigoroso e trabalhador. José escolheu sua noiva. A vida dos dois se prenuncia preciosa. Moço dos bons, ele. E Maria, uma de inteira confiança.

José ama Maria que ama José. José e Maria se querem bem. Todo bem.

No azul da tarde que vai chegando, eles se encontram à sombra de uma figueira. A céu aberto. À vista de todos. José considera Maria um dom de Javé para seus dias. Maria considera José abençoado, presente para sua vida toda. Jovens que se escolhem e se acolhem como dom (e não apenas conquista do desejo individual), amam-se de modo muito especial. Acreditam um no outro e se sabem guardados por Deus nos caminhos deste amor.

LOUVOR:

Leitor:
Nós vos saudamos, ó Santo São José.
Todos:
Benditos os vossos olhos que viram o que vistes.
Bendito o vosso coração ardendo de amor por Maria, vossa escolhida.
Bendito seja Deus que vos escolheu por estardes amando Maria e em casamento a ela prometido.

Leitor:
Nós vos reconhecemos agradecidos pelas histórias incríveis que vivestes com Maria, por causa de Jesus, Deus que queria chegar ao nosso mundo.

Todos:
Sois da nossa Igreja, padroeiro. Felizes nos sentimos. São José que aplainais as almas, cuidai de nossa juventude! Nossos jovens precisam muito mesmo de aprender a amar.

ORAÇÃO INDIVIDUAL:

Ó meu São José, meu São José de Nazaré, vós que sois carpinteiro, dai-me o machado, o cepilho, o martelo. Ou machadai vós mesmo e cepilai e martelai as brutezas duras de minh'alma; ó vós que sois carpinteiro meu operoso São José. ( Celso Cabral CSsR)

2° DIA - JOSÉ AMA MARIA.

Meditação:
José e Miryam são jovens judeus, membros do povo da Aliança. Desde o despertar, com o canto do galo, a espiritualidade da Torá propõe, a qualquer idade, um caminho de humildade e força. Rezam o Baruch Adonai: Bendito seja o Senhor. Como este: Bendito sejas tu, Senhor nosso Deus, Rei do Universo, que dás ao galo o discernimento para distinguir entre o dia e a noite.

Desde o amanhecer, José o jovem carpinteiro e Maria a jovem com ele comprometida, cada qual em seu recinto, vivem esse duplo vínculo de fé: respiração no Senhor e direcionamento no viver. Assim aprenderam a estabelecer relações entre as acontecências e ordená-las conforme sua importância para a vida.

O galo acordava todo judeu fiel para desenvolver suas capacidades de testar, identificar, escolher e decidir por conta do que melhor venha a se ajustar à obra de Javé no mundo: viver fazendo a obra eficaz de cada dia.

Quando o galo canta a cada amanhecer, os jovens deixam brotar em si a bênção do Senhor. E na fase que vivem, trata-se da obra de amor entre eles: rapaz e moça, já compromissados. Recomeçam, cada dia, discernindo entre a luz e a obscuridade no amor, a fim de que exista mais luz em suas vidas de amorosos,em promessa da Aliança.

Esta historia de José que ama Miryam que ama José, e que ambos amam a Javé, se vivifica com a Torá meditada e que sustenta seus modos de amar. Mesclam a força e a ternura, a ausência e o encontro, proximidade e a espera. Confiança e o desejo de acolher o outro com gestos simples de troca afetuosa. Um e outro, atraídos, conhecem agora os caminhos e as paisagens do cotidiano que será o deles em breve. Como na vida de toda a gente. Desconhecem o outro universo a que serão convocados! E eles não estão isentos dos mesmos mistérios que o amor põe em movimento ou nos fazem sofrer. Mas eles vivem o discernimento entre a obscuridade e a luz que torna maior o amor.

O que caracteriza a ambos, neste momento, não é tanto o serem pessoas "religiosas". É sim, o aprendizado do amor como obra eficaz para uma vida de bênçãos. E é este amor que interessa a Deus. Pois Deus, nestes tempos, precisa do amor de um homem e de uma mulher pra entrar na historia humana, sendo um de nós. Deus se encontra com o amor de José e Maria. Um amor que não se esconde nas dobras da cumplicidade por concessões humanas, humanas demais. Esse amor,que leva a marca da autenticidade, encanta Deus. Amam-se totalmente sob o encanto da graça de que cada um é portador. É este amor que interessa ao Altíssimo, Adonai, bendito seja o seu Nome. Eles se amam como poucos sabem amar! Deus os escolhe, então, para com eles vir à terra. Eles possuem o amor maior que um homem e uma mulher podem se oferecer. Deus os escolheu. E eles ainda não sabem... Eles se amam, apenas isso. Tudo isso, neste momento.

LOUVOR:

Leitor:
Vamos celebrar as maravilhas de Deus essa luz poderosa para as situações humanas.

Todos:
Nós vos saudamos, José Patrono de todos os bons e belos amores silenciosos.
Sois exemplo de vigor e lucidez, de entrega e espera.
Sois bendito entre todos os outros homens
Benditos olhos que escolheram Maria
Bendito vosso coração que amou sem medidas.

Leitor:
Nós vos reconhecemos, agradecidos, pelas histórias incríveis que vivestes com Maria por causa de Jesus, Deus que queria em tudo ser como nós.

Todos: Sois da nossa Igreja,padroeiro. Felizes nos sentimos. São José que aplainais as almas cuidai de nossos jovens que vão se casar, ensinai-lhes o poder da sensibilidade que é capacitação para a convivência duradoura. Amém.

ORAÇÃO INDIVIDUAL:

Ó meu São José, meu São José de Nazaré, vós que sois carpinteiro, dai-me o machado, o cepilho, o martelo. Ou machadai vós mesmo e cepilai e martelai as brutezas duras de minh'alma; ó vós que sois carpinteiro meu operoso São José. ( Celso Cabral CSsR)

3° DIA - MARIA QUE AMA JOSÉ.

Meditação:
Maria, a jovem a se casar, desperta e se apronta ao terceiro cantar do galo. E reza: Bendito sejais vós, Eterno nosso Deus, rei do universo, que desatais o que está ligado. Ajuda a por a casa em ordem. Entre os hebreus, todas as funções, de cada dia são acompanhadas de uma benção, como esta: Bendito sejais,Senhor, que abençoais toda carne e agis milagrosamente.

Maria ama José, vive com ele a obra eficaz de ir construindo este amor, até que José a acolha na casa que está preparando e com pressa. O dia está para chegar! Maria aguarda. Sua personalidade alegre e bem disposta sonha.

Maria ficou sabendo que fora escolhida para dar a Deus entrada na vida humana, gerando um filho. Maria sabe que o primeiro responsável por seu amor é o bem-amado José. Ela precisa dizer-lhe isto logo mais.

Maria está grávida. Sua gravidez não é obra de homem algum. Ela precisa neste começo de tarde encontrar-se com José, e anunciar-lhe a maravilha de que é portadora. Maria sabe o quanto José acredita sempre no que ela conta. Ele crê na amada Maria, confia. Miryam ensaia o que lhe cabe revelar a José. Algo assim : Eu te amo. Por ti me reservei. Mas trago em mim uma criança; concebi pelo Espírito do Altíssimo. Acreditas em mim? Ficas comigo?

Era uma tarde bonita, como tantas tardes lindas que a vida nos propicia. Eles agora estão juntos. Será que em algum momento José experienciou aquele início de medo, leve receio, de que Maria não o amasse tanto quanto ele a ama?

Na mente e no coração de Maria ressoam luminosos aquele "Ave,Maria! Alegra-te, ó preferida de Deus." É hora da anunciação a José. Miryam saúda seu bem-amado : Ave, José. Alegra-te. Nós fomos escolhidos.

Ela precisa do apoio dele. É tudo tão extraordinário! Vão misturados a felicidade inesperada e o desconforto da situação que lhes cabe reconhecer. E assumir os riscos. Não há hesitação alguma nas palavras que lhe diz. Nada há de mentira ou meia-verdade: Tu me aceitas, como eu aceitei a novidade do Altíssimo?

Deus precisa do jovem par de noivos. Que se tornem casal de Deus. Deus já recebeu a aceitação de Maria. E agora, José? José, acreditas em mim? Alegra-te com, o que estou a te contar.

José sentado ao lado de Maria. Estão de mãos dadas. Ela já disse tudo. Nada mais pode fazer. A decisão agora cabe a José. O amor entre os dois foi tecido de liberdade, respeito e confiança mútua. Maria concentrava-se atenta ao que pode estar acontecendo com José. José, surpreso, tenta entender o que acontece com Maria. É a incrível hora de um conhecer melhor o outro. José sente a intrusão. Treme. Entre ele e sua amada Miryam há mais Alguém. A beleza da tarde se foi. Faz-se noite no coração de José. Porque o Altíssimo (Adonai) entrou nesse amor justamente agora,interroga-se o assustado José. Deus na sua casa, a casa que preparou para Miryam? Deus no ventre da mulher que ele ama e que o ama. Não, não é hora de dizer coisa alguma.

José mergulha em seu silêncio. Submergido e respeitoso.

Será que eles choravam, cada qual no aguardo de um desfecho estranho para um amor tão forte? Será!?

LOUVOR:

Leitor:
Bendito seja o Altíssimo, José. Ele que vos circunda de luz e vos joga na solidão para o discernimento e para a escolha. São horas à espera de vossa adesão.

Todos:
Lembrai-vos de nós Ó patrono de nossas famílias, em meio às tribulações quando nossa identidade cristã nos deixa temerosos de nos achegar à Arvore da Vida.

Leitor:
Estáveis preparado para sugar a vida e fostes sugado para dentro do sonho de Deus.

Todos:
Acarinhai, São José, os solitários do amor por medo da doação. Ajudai-nos a ancorar a vida no futuro quando Deus nos chama: Sai de ti e abre-te a mim.

Leitor:
Sois de nossa Igreja, padroeiro.

Todos:
Que toda ela se entregue no rolar dos dias à construção do Reino do Pai, esta vida mais plena para todos. Amém

ORAÇÃO INDIVIDUAL:

Ò São José, meu São José do Altar-Mor, vós que sois tão grande na vossa santa humildade, fazei-me pequenino para eu poder caber no coração de Deus; Ò vós que sois tão grande, meu santo São José. (Celso Cabral. CSsR)

4° DIA - JOSÉ INVADIDO PELO SONHO DE DEUS.

Meditação: (lendo Mt1,18-25)
José se prepara para dormir. Era noite. Olhou o céu para ver que tempo fará(Mt 16,2).Já começara o outro dia,porque em Israel os dias são contados a partir da entrada da noite. Mas primeiro vem as trevas da noite escura. José reza a benção da hora: seja em obséquio de vossa vontade,Senhor,que eu me deite em paz e em paz me levante. Que meu sono não seja perturbado por sonhos maus e por visões impuras. Que meu repouso seja aquele da inocência. Preservai-me como a pupila de vossos olhos e escondei-me à sombra de vossas asas.

O mistério que habita Maria o transtornava. Seus sentimentos de jovem carpinteiro pronto para casar fervilham. - Como estou preso ao desejo de Deus se tornar humano e judeu? Claro que como todo Judeu fiel, naquela época, José espera o Messias, Salvador. Mas longe dele esperar que o Filho de Deus viesse a nascer em sua casa,nascer de sua Maria.

José não segura o choro da sua dor. Seu desejo ardente de vida se rompera,assim,de repente,na bela tarde. Deus contava com Maria e já recebera dela o consentimento. Mas e ele,como ficava? Qual o seu lugar? Orgulho ferido. Zonas de sombra espessa fechando o caminho buscado.

Não. Nem pensava em abrir mão de coisa alguma,cioso de sua escolha. Além disso, José se considerava incapaz. Maria,sim, merecia esta graça suprema. Mas, ele, José,não. Pra nada disso serviria. Nestas circunstancias,o caminho de sua Maria não seria o seu. Era uma vez...

José decide desistir de Maria. Era um homem justo e não queria difamá-la. Decide ir embora,secretamente. Nem seu sonho de jovem carpinteiro coabitava mais com o sonho de Maria, agora Virgem-Mãe do Filho de Deus. Não,não dará certo. É o fim. É demais.

Deus era, neste momento,o Deus da tempestade sobre a montanha. Só lhe resta descer da montanha do amor que vinha construindo com Maria. José se sente o amante atraiçoado pela vida. E dirá -jamais encontrará alguém parecido com Maria. Chora e esbraveja.

Um tanto de ódio percorre seu corpo. Ah!, se não acreditasse na fidelidade de Maria,talvez lhe fosse mais fácil suportar a ruptura. Que o sublime faça parte de sua bem-amada,ele entendia. Mas,não há como ele,José,estar nesta extraordinária (a)ventura. Não há mesmo como . -Por que seria eu escolhido? Ela me disse : fomos escolhidos. Carinho dela. Ela,sim,foi escolhida,eu não.

Exaurido, José adormece. Mas seu sono foi visitado por Deus. Era mistér que Deus anunciasse também a José a maravilha que lhe cabia. Era preciso mostrar-lhe que José algum era indigno de Maria. Deus precisa do casal; precisa deles;precisa urgente dos anos cheios de vigor e ternura desses dois jovens. José recebe a anunciação do anjo.

José acordou do sono/sonho pronto para ficar com Maria. Acordou surpreso e abençoado por ter sido visitado também e ser parte do sonho de Deus. Escolhido!

Decidiu assumir e foi trabalhar na carpintaria. À tarde daria sua resposta a Maria. José trabalhava sereno e feliz. Ele não era um indigno do sonho de Deus. Ele estava incluído. Ele não era um indigno do amor de sua eleita, também a preferida de Deus.

José tomou as mãos de Maria e lhe disse o mesmo SIM que ela dera a Deus. Se assim é,que seja assim. Fiat. Amém.

Maria,é verdade. Nós fomos escolhidos.

LOUVOR:

Leitor:
Vamos bendizer o Amor do Senhor nosso Deus que liberta e abençoa todo homem que ama de verdade.

Todos:
Benditas as vossas lágrimas que abriram vossa escuta e vossos olhos sobre o sonho de Deus para o mundo. Bendito sois, José, o escolhido para caminhar com Maria pelos caminhos a serem palmilhados pelo filho de Deus, de quem assumistes ser o guardião.

Leitor:
Bendito o anjo que vos anunciou a escolha de Deus querendo vossa colaboração amorosa.

Todos:
Abençoados sejam, José, os que vos bendizem e a vós recorrem para serem famílias de verdade segundo o coração de Deus

ORAÇÃO INDIVIDUAL:

Ò São José, meu São José do Altar-Mor, vós que sois tão grande na vossa santa humildade, fazei-me pequenino para eu poder caber no coração de Deus; Ò vós que sois tão grande meu santo São José. (Celso Cabral. CSsR.)

5° DIA - E HOUVE A FESTA DO CASAMENTO.

Meditação: (lendo Mt 1,24-25).
José encontrara seu destino e sua vocação. Já não vacilava. - José,não temas receber Maria como tua mulher (Mt 1,20). Ele assumiu. Assim,acolhe Maria sob seu teto como sua legítima esposa Mt1,18. Foram apenas três dias de festa,como era costume para as pessoas pobres.

Eis a benção das bodas: Bendito o Senhor que alegra os novos esposos...,ele,que criou o júbilo e a alegria,o novo esposo e a esposa,o amor e a fraternidade,o gozo e o contentamento,a paz e a união.(...) Bendito o Eterno que alegrará o esposo na esposa e os faz prosperar.

E houve festa. Comida,bebida e dança ao som da flauta e das palmas. E não faltou vinho.

O salmo cantado na festa é o Sl. 44(45): do meu coração nasce um lindo poema. É um hino à vida e ao amor.

Escreve um pai de cinco filhos,casado "no Senhor" : A Bíblia utiliza uma palavra de uma profundidade insuspeitada para evocar as relações conjugais. Diz ela: e ele conheceu sua mulher,ou então : ele a tomou em sua casa sem a ter conhecido. O homem partiria para a descoberta de sua mulher pelos caminhos do desejo até a consumação da união da ternura de dois corpos. Seria supremo conhecimento reservado a dois seres? José e Maria se conheceram na plena verdade de cada um quando o inacreditável irrompeu em suas vidas. Ao se tomarem oficialmente como esposa e esposo, já se conheciam face a Deus, o Altíssimo onipotente, de maneira total e definitiva .

E podemos supor que muitos casais,mesmo com a íntima familiaridade de seus corpos,não alcançaram tal conhecimento de um e outro, tal união. "Assim como o Pai me conhece,também eu conheço o Pai e dou a minha vida pelas minhas ovelhas" (Jo 10,15)

José e Maria vivem suas vidas como entrega e dom. Dom real de si mesmos pelo senhorio de Deus na história humana. Ultrapassam suas aspirações,aceitando ser invadidos pela graça da divinização. LOUVOR:

Leitor:
Bendito sejais São José por assumires vossa missão de modo tão transformador.

Todos:
Nosso bendito hoje é súplica: Que os homens saibam ser esposos, que os esposos vibrem em ser pai e que nossos padres, também eles, saibam assumir sua missão de Igreja, como pais de todo o povo-de-Deus.

Leitor:
Olhando a Igreja como a grande família de Deus percebemos que, em geral, são as mulheres que a puxam para a frente e alargam horizontes para o Reino de Deus.

Todos:
Sejam as mulheres abençoadas por vós, São José que abençoastes Maria, Virgem-Mãe.

Leitor:
Bendita a família cristã que tem em José e Maria a referência de como Deus acredita em cada pessoa humana.

Todos:
Valei-nos,São José. Socorrei nossas famílias. Obrigado,porque acreditastes no sonho de Deus para redimir o Amor na Terra. Bendito sejais, José, o homem preferido pelo Altíssimo Deus.

ORAÇÃO INDIVIDUAL:

. Ó meu São José, meu São José da cabeceira, vós que protegeis os homens na hora escura das agonias, fazei que eu veja a luz no lago tão sereno de vossos olhos puros - ó vós que protegeis os homens- bom patrono São José.

6° DIA - JOSÉ E SEU CAMINHO SILENCIOSO.

Meditação:
: Naqueles dias Maria partiu em viagem a visitar a prima Isabel, (Lc 1,39ss.),também parte do mistério em gestação,que irá engravidar para sempre a história humana com o sonho da Paz.

E José fica em casa. Muitas encomendas. Trabalhando como artesão-carpinteiro. É no setor do trabalho que José rumina as surpresas de sua vida. Nas canseiras cotidianas e no silêncio. Medita os incríveis acontecimentos,as verdadeiras anunciações que subverteram sua vida.

José vai forjando em si esta nova criatura por haver assumido Deus plenamente. José, homem de Deus. Integrado, seu coração jubila. Entrou de cheio nos planos redentores do Deus de Amor. Sabendo ainda quase nada. Mas certo de que haverá de ser pai. Seu sonho de carpinteiro remodelado agora na carpintaria de Deus. Sente-se outro por acolher o projeto de Deus,aceitando ser o guardião do Deus-filho; gerado no ventre de Maria, a Virgem-Mãe,sua esposa . Será pai indispensável.

Maria viajou. Viagem longa. A estadia se alonga. José aguarda, trabalhando. Sua nova liberdade no amor se configura no azul do céu de sua Galiléia. Com gosto de realidade plena.

José é jovem. A partir de certa época do cristianismo passaram a representar José como um maduro homem sábio. Quiseram que sua figura imaginada fosse retrato de sua alma. Sim,é sábio e responsável porque permanece vigoroso e jovem. Assim foi escolhido. Tem o olhar de quem viu o invisível e o irradia. Um olhar sem fronteiras em um rosto sem rugas.

E José trabalha. Vive a identidade humana de quem amou, no repente da vida,a verdade maior. Amou a presença da Verdade revelada no ventre de sua Miryam. José aguarda para ver as feições do filho e tomá-lo em seus braços fortes. A luz brilhou nas obscuridades de seu humano desejo que morreu,qual trigo na terra sepultado. Para a fartura do pão em todas as mesas.

José vai no silêncio se acostumando à verdade do repente de Deus. Conhece no vigor da idade a força da Palavra. E ama a palavra a ele anunciada,após a anunciação feita à sua amada Maria.

Sentir, escutar a verdade e vê-la como José a sentiu, escutou e viu ressoa em todo o seu ser, a cada dia,enquanto Maria permanece em visita à prima. Sua sensibilidade está mobilizada e comovida. A ausência momentânea o transporta as larguezas insuspeitadas.

Sua existência parece um estilo de fermentação. Anseia por ver o rosto do Menino desejado. Fermentação que vai gerar os novos tempos que o nascimento do Menino inaugurará. Novo vinho de Deus para fermentar a história do mundo.

José, o carpinteiro de Nazaré,aguarda. Prepara-se como guardião. Coincide com o destino de seu vilarejo Nazaré, a guardadora. Notseret.

LOUVOR:

. Leitor:
Nós vos saudamos,são José trabalhador.

Todos:
Ajudai-nos a garantir trabalho para todos.

Leitor:
Nós vos saudamos,São José esposo que acolheu Maria já grávida do Espírito Santo.

Todos:
Fazei que os jovens casais acolham as vidas e sejam generosos em assumí-las.

Leitor:
Nós vos agradecemos, santo padroeiro, que acolhestes a anunciação do sonho de Deus a vosso respeito.

Todos:
Valei-nos São José para que saibamos entender o bem-querer de Deus para tudo que empreendermos. Sois bendito entre todos os homens!

ORAÇÃO INDIVIDUAL:

Ó meu São José -meu José de Belém- vós que protegestes Maria, na gruta fria da rocha, fazei-me entrar também na grande obra ardente da chegada de Jesus; ó vós que protegestes Maria, meu zeloso São José. (Celso Cabral CSSR).

7° DIA - E O MENINO NASCEU EM BELÉM.

Meditação : Lc. 2,1-35
Por causa de Miryam e a proximidade de a criança nascer, José se agonizara com a viagem e se cansara no vai-vém da procura de um canto para Maria descansar. Se inquietara e temera. Muito medo de as coisas não ocorrerem devidamente, com os cuidados que o amor deseja.

Agora, o menino dorme. Maria também. José sentado em um monte de palha e feno, vela. Aliviado. O rumor de anjos ao redor se parece com a vibração pelo encontro de haver acreditado. Olha o recém-nascido bem de perto. Vão lhe atribuir ser pai dele, pois a sua Miryam lhe deu este filho. Em seu coração pensante e iluminado, o Reino prometido ao Menino deve ser parecido com a maternidade de Maria: fecundidade virginal. Frescor de realidade novas.

José cria coragem. Pega o menino. Quer sentir sua existência e pensar sua presença ao calor da pele. Como fica bem aquele sono continuado em seus braços de pai! Acaricia-o. Céus, que loucura! Tão desprovido para ser pai, como são os homens no mundo inteiro ante o mistério do primogênito, o primeiro fruto pelo amor gerado. Toma nos braços o filho do Altíssimo. Cabe a ele ser o pai dele na terra, e com Maria educá-lo. Percebe Miryam de olhos abertos a seguí-lo em sua estréia de pai.

A purificação no templo
Era já o oitavo dia. O jovem casal sobe a escadaria no Templo. Para os ritos da circuncisão do menino e a purificação da mãe. José leva a oferenda de um casal de pombos, um branco e outro preto. Oferta de gente pequena e pobre. Os pombos recordam que o primogênito homem ao ser oferecido ao Deus da vida, traz consigo a vítima da substituição. Para o sacrifício, um animal.

E fico a pensar: adulto, o menino abrirá os braços e os terá pregado no madeiro da cruz. Sem substituição; eis a oferenda definitiva que vai abolir todos os outros ritos. Enquanto este dia não chega, é vendo os pombos de asas atadas que a gente cisma longe. A translucidez de um pombo branco, a obscuridade de um outro seguindo o Menino como sombra. Um pouco assim será a vida de José e Maria face ao Mistério de que são guardadores.

E o nome do menino já havia sido decidido sem José. Deram-lhe o nome de Yeshuáh (Javé salva), Jesus. Mt 1,21. José e Maria crescem no maravilhamento da hora. Mas Simeão, também surpreso e contente, pronuncia a profecia: "Este menino vai ocasionar a queda e o reerguimento de muitos em Israel; ele será sinal de contradição." Lc. 2,34. E acrescenta: "a ti, uma espada te transpassará a alma." José se achega a Maria e abraça-a pelas costas. Eles não precisam dizer-se nada neste momento. Sabem algumas coisas. Irão descodificando tudo mais.

Fuga para o Egito
Caminhando ao vento das vastidões lá vão eles. Os três. De novo, em sonho, José fora lembrado pelo Pai, que devia pôr-se em fuga para o Egito. Mt. 2,13-15. O peso da realidade: a alegria de serem pais obriga-os a andar em fuga, pois a criança está excluída de seu povo. A iniciativa desta caminhada, de lugarejo em lugarejo, escondidos, corre por conta de José. Ele abre caminho, é a segurança. Ele puxa a direção. Leva consigo seus amores vivos. O Pai confia em José, o guardador. Cabe-lhe a iniciativa de assegurar a vida. Ele segue adiante. Toma consigo o menino e sua mãe, e foge para o Egito. Quanta evocação! A terra da opressão dos antepassados. O exílio. José vai feliz com a sua missão, inquieto com os riscos e a insegurança dos seus. A vocação de José: - Toma o menino e sua mãe. Toma. Assume. Vela. Cuida. Define estadias. Trabalha. Firmou-se a paternidade na peleja de serem exilados. Dureza! Mas José tem seus horizontes clareados. E de sonho em sonho, continua reconhecendo o seu sonho no bojo do sonho de Deus.

José e Maria, estabelecidos no exílio, recordam a profecia de Simeão. Por que tão cedo a dor chegou? A morte de inocentes (uns vinte) que não puderam fugir como eles, amedronta. Recordam Belém, Jerusalém. Aguardam um cotidiano na Galiléia, na pequena Nazaré. Para quando? Uma sombra se alonga na vida deles. Percebem quem serão os adversários do menino que educam. Os Herodes, os governantes agarrados a seus sistemas religiosos. Essa gente que fez do poder (religioso ou não) a razão do próprio ser. E vivem da raiva e do medo no coração. Ameaçadores.

LOUVOR:

Leitor:
Nós vos saudamos, ó São José guardador de Jesus e Maria, imagem de Deus Pai.

Todos:
Benditos vossos olhos que vêem o invisível.
Benditos vossos ouvidos que escutam as mensagens de Senhor nos sonhos.
Benditos vossos braços que carregam quem sustenta a História do mundo, que abraçam para o aconchego a mãe de todos nós que também acreditamos nos sonhos de Deus.

Leitor:
Bendito o Pai que vos escolheu Bendita seja Maria, vossa esposa.
Benditos sejam os anjos que vos anunciaram os caminhos a seguir.

Todos:
Benditos sejam hoje e sempre Os que vos bendizem e amam. Abençoai nossa Paróquia protegei nossas famílias. Amém.

ORAÇÃO INDIVIDUAL:

Ó meu São José, meu São José do Egito, vós que protegestes Jesus na terra amarga do exílio; fazei que sempre habite na pátria maternal do solo de Maria; ó vós que protegestes Jesus, meu paterno São José. (Celso Cabral. CSsR)

8° DIA - E JOSÉ APRENDEU A SER PAI!

Meditação:
: Egito. Algum tempo se passou. Longo o suficiente para a distância produzir a nostalgia por Isrrael. Se eu me esquecer de ti, Jerusalém..., Sl. 136. Estão em ti todas os minhas fontes. Sl. 86.

Certa noite, o Menino e a Mãe já dormiam. José foi para o canto do cômodo ver o rosto do menino. Crescera. Dois anos a completar. José olha para seu filho e sabe que contempla Deus. Deus dorme na minha casa, exilado... pensou. Amor-adoração, como os pais têm pelos filhos pequenos. Naquela noite, o anjo do Senhor apareceu-lhe anunciando: vá para a terra de Israel. (Mt. 2,19-23).

O cotidiano em Nazaré
Ei-los instalados, enfim, em sua Nazaré querida. A vida ganha ritmo, o cotidiano estabelece a rotina indispensável para uma família dar conta de si.

José educa Jesus e o introduz nas tradições religiosas de seu povo. E Jesus crescia em sabedoria e estatura diante de Deus e dos homens. Lc. 2,52. José; a figura do pai, inalienável para que a vida do menino se estruture saudável. As coisas transcorriam sem grandes relevos. A escola da vida prevalece: o aprendizado das relações humanas; o aprendiz de artesão se exercita; freqüentam a Sinagoga. O culto do Shabbat. A paz para o sábado. A bênção: Eterno nosso Deus (...) cobri-nos com vossa tenda de paz. (...). preservai-nos da maldade dos homens, afastai de nós provas por demais cruéis. (...) LOUVOR: Vós, Senhor, que estendeis sobre nós, (...) a vossa paz tutelar. Amém.

E havia a freqüentação às festas religiosas. Freqüentes e belamante ruidosas de alegria e fervor. Ao menos, uma vez por ano, a família subia a Jerusalém.

A família de Nazaré tem no viver cotidiano a fonte do Mistério contemplado. Uma alquimia de transfiguração das coisas comuns é própria aos três, todos portadores do Mistério. Corregam em si a luz do Altíssimo. Um viver amoroso e confiante. Viver impregnado de fé e esperança. O dia irá chegar... . Silenciosa grandeza desses três! Deus era-lhes familiar e estranho; próximo e desconcertante.

José e Maria descortinam para o menino as experiências fundantes que qualificam a vida saudável de um judeu, justa e fiel. A seus pais, Jesus de Nazaré, deve as referências maiores de coragem, ternura, liberdade e atenção aos outros, amor ao povo da Aliança. Adoração a Javé.

O menino mudou. E ser pai deste Menino mudou José, transformou-o. Talvez não fale muito. Há tempos que as dúvidas cessaram em sua mente. Seu olhar puxa para o gosto de evoluir, ir mais longe. Admirável doçura. José foi descobrindo o que é compartilhar. Descobriu uma outra convivência com Javé-Deus; afinal os pais, os nossos aqui na terra, não podem de modo algum deixar de se expor, freqüente vezes, Àquele do céu. O filho que José educava, o Filho que lhe foi dado é o Filho por excelência. José o sabia!

Em Jerusalém
Certa vez, tendo a família de Nazaré viajado a Jerusalém, e estando o Menino em seus doze anos conquistados, o jovem deixou-se ficar no templo. Seu pai e eu, filho, o estávamos procurando, cheios de aflição. E Jesus contrapõe: Por quê? Não sabiam acaso que eu devia estar naquilo que é de meu Pai? Silêncio para as recordações. E puseram-se os três a caminhar. Conferindo no coração tantas coisas!

Termina o aprendizado de José
Quantas descobertas fizeram José e Maria! Coisa mais desafiante e bela, esta de compartilhar o mesmo filho com o Altíssimo (Adonai); Javé criador, o Deus de Israel. Que despojamento! Que silêncio necessário!

São os olhos dos pais que restituem a confiança ao aprendiz de ser gente e oferecem o calor da acolhida que facilita o coração ou a confirmação das atitudes. O olhar e a fala indicam ao filho o rumo bom da vida. A fala. A conversa. A escuta. A palavra necessária. A palavra de esperança. A palavra desejada. O carpinteiro José amou seu filho em todas as fases do crescimento dele. Jesus está agora com seus vinte e cinco anos, trabalhando. Enturmado. E um dia, José que só viveu para eles, vai se despedir deles. Provavelmente foi numa noite. Condiz melhor com a vida vivida, o caminho percorrido por ele. José que conheceu tantas auroras, que expulsou tantas obscuridades, parte para a aurora definitiva. Vai terminar o tempo de aprendizagem de José. Há tempos as dúvidas desapareceram, as interrogações persistem. Fica a impressão de que os anos passaram depressa demais. José está próximo dos 40 anos ou pouquinho além. José não verá o irromper do Filho que tráz o Reino de Deus para dentro da história de seu povo, do Israel sonhado. Quando a aurora iluminou a aposento, Jesus fechou os olhos de José. Abraçou Maria. Agradecidos bendisseram Javé. Ficou escrito em um texto apócrifo: _ Fechei seus olhos, (...) levantei-me para contemplá-lo. _ Ó minha mãe, grandes coisas aguardam nosso querido pai José. LOUVOR:

Leitor:
Salve, bendito são José, nosso padroeiro.

Todos:
Bendito o anjo que vos anunciou as coisas do eterno.
Bendita Maria que tanto amastes e que recebestes como esposa e mãe.
Bendito o Espírito Santo que vos santificou.

Leitor:
Nós vos saudamos, São José imagem viva de Deus Pai. Sois bendito entre todos os homens.

Todos:
Mostrai São José, a força de vossa paternidade: Dai-nos determinação diante dos problemas, coragem diante dos riscos, sentido dos limites de nossas forças e confiança irrestrita no Pai Celeste. ( L.Boff). Amém.

ORAÇÃO INDIVIDUAL:

Ó meu São José, meu São José da Cabeceira Vós que protegeis os homens na hora escura das agonias, fazei que eu veja a luz no lago tão sereno dos vossos olhos puros. Ò vós que protegeis os homens, bom paterno São José. (Celso Cabral CSsR).

9° DIA - JOSÉ A PERSONIFICAÇÃO DO PAI

Meditação Orante I:
Ó meu Santo São José de Deus, terminamos hoje vossa novena. Quanta alegria vendo que participastes dos planos de Deus para engravidar nossa humana história com a realidade de nos dar Jesus de Nazaré, como Redentor do mundo.

Jesus é da família humana como qualquer um de nós porque assumistes a maternidade virginal de Maria e a paternidade do filho, nascido de sua Miryam amada. Obrigado de coração, meu santo São José de Deus.

Realizastes as funções de marido e pai. E com que força de verdade e com que implicações para a vida cristã! Bendito sois. Fostes querido por Deus para ser seu caminho entre os homens.

Nós hoje, São José, que seguimos a Jesus de Nazaré, o nosso Senhor Jesus Cristo, não conseguimos pensar ser discípulos dele sem vossa presença de esposo de Maria e pai de Jesus e nosso guardador. Como é grande vossa caminhada, patrono querido. Tudo em vossa vida tem a ver com Deus. Toda a vossa vida é construída à luz da Revelação divina. Sois na vida humana, pela experiência de educar Jesus, a presença misteriosa do Pai celeste. Sois a personificação do Pai do céu.

Todos:
Valei-nos São José, santo padroeiro.
Fostes honrado cidadão na Galiléia.
Fostes operário competente em Nazaré.
Fostes sensível às anunciações do Anjo do Senhor.
São José, Confidente íntimo de Maria, educador do menino Deus, Jesus, bendito sejais.
Obrigado, José. Sois Deus-pai personificado. O homem que silencia para que seu filho Deus cresça.
Bendito sejais.

Meditação Orante II:
Ao terminar esta novena recordamos que Deus Trindade se revela como Pai, Filho e Espírito Santo. Esta Divina família se auto comunica à família humana de Jesus, Maria e José.

Em ambas as famílias, a divina e a humana, há uma circulação de vida e amor. Que admirável troca! Admirável economia de Salvação. Jesus é o Filho; Maria é o rosto materno de Deus, por obra do Espírito Santo. E vós, José, sois a personificação do Pai.

E nada se fez com mágicas. Tudo foi acontecendo na escola de vossa vida humana com Maria e Jesus. Aconteceram perplexidades e dúvidas. E as perguntas perduraram até o fim.

Todos:
Valei-nos, São José. Que nossas famílias,/ em meio a tantas transformações atuais,/ não percam o rumo nem a referência da Família Divina/ presente em vossa humana família de Nazaré.
São José, valei-nos.
Há entre nós, situações desafiadoras.
Mas concedei-nos vossas bênçãos e proteção/ para que as famílias sejam vivificadas pelo amor,/ um amor além delas próprias/ para que aconteçam outras maneiras de recriar a prática do respeito e da liberdade e possam assim surgir à família-escola, a família-empresa, a família-nação, a família-Trindade na Terra.
Não nos deixeis padecer de frieza nos relacionamentos.
Circulem sempre entre nós a vida, o amor e a comunhão.


MeditaçãoOrante III:
Meu santo São José, conto-lhe uma tristeza: anda em descrédito, e quase em desuso, a pessoa e a figura humana de ser pai. Querem somente um mundo supostamente igualitário. Nem fraternidade conta muito. Nossa sociedade parece bem desarticulada face ao modelo família. Tudo parece girar ao redor de tribos, grupos de interesse, parcerias de ocasião.

Gente como vós, José, pai pra valer à luz da paternidade divina, vai ficando dom precioso e raro. Assusta-nos a existência de famílias apenas maternas. Reparai em nossas contradições, avanços e recuos e valei-nos no retorno da pessoa e figura do pai. O vosso modo de ter sido pai favoreça os pais na construção de uma identidade familiar autêntica.

Suscitai nos homens-jovens a ousadia de irem a contra-corrente desta cultura mortífera.

Todos:
Mostrai, São José, a força de vossa paternidade: Dai-nos determinação diante dos problemas, Coragem diante dos riscos, Sentido dos limites de nossas forças confiança irrestrita no Pai Celeste. Amém. (L. Boff)

Twitter Facebook Orkut Messenger
Linked Yahoo Meme Google Buzz Delicious
mySpace Blogger Sonico Digg

Este recurso será liberado em breve. Aguardando validação do servidor.

dados do(a) autor(a)
Pe. Dalton
 
Não informado
Não informado
Não informado
Padre Redentorista
12 últimas atualizações
Contato

Paróquia da Glória
Avenida dos Andradas, 855 - Morro da Glória
CEP: 36036-050 - Juiz de Fora (MG)
Telefone: (032) 3215-1831
Siga-me nas redes sociais

Dados Técnicos

Este web site utiliza as tecnologias como HTM5 e CSS3 e é compatível com os seguintes navegadores:
Sistema web desenvolvido por:
Copyright © 2012 Todos os direitos reservados.