topo
Campanhas
09/03/2014 19:24:32 - Atualizado em 09/03/2014 19:24:32
Campanha “40 DIAS NO DESERTO COM JESUS” de Jejum e Oração 2014
“Cheio do Espírito Santo, voltou Jesus do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto, onde foi tentado pelo demônio durante quarenta dias.” (Lc 4, 1-2a)

“FOI PARA A LIBERDADE

QUE CRISTO NOS LIBERTOU!”


UM CAMINHO ORACIONAL COM O LIVRO DO ÊXODO

 


 

O SENTIDO DE DESERTO

 

“Cheio do Espírito Santo, voltou Jesus do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto, onde foi tentado pelo demônio durante quarenta dias.” (Lc 4, 1-2a)

 

Também nós queremos que o Espírito Santo nos conduza ao deserto! Na tradição bíblica e também nos primeiros séculos da Igreja, o deserto é considerado um lugar especial de encontro com Deus: “Por isso a atrairei, conduzi-la-ei ao deserto e falar-lhe-ei ao coração” (Os. 2, 16).
Ir ao deserto com Jesus durante este tempo de quaresma – ou outro tempo que você mesmo eleger (não necessariamente a quaresma) – é colocar-se no firme propósito de ter um encontro com Deus e com nossa própria verdade. O deserto não é um lugar, mas uma disposição espiritual.

Os “demônios” que precisamos enfrentar estão, antes de tudo, dentro de nós. São nossos próprios traços de personalidade, inclinações, atitudes que precisam ser reconciliados ou até mesmo vencidos, “exorcizados” para vivermos debaixo da Vontade de Deus.

Uma batalha que se trava no decorrer de toda a vida. Sempre precisaremos de mudança, conversão. Ninguém se sinta pronto por ter percorrido um determinado trecho de sua senda espiritual. Sempre haverá a necessidade de se colocar novamente a caminho, de se confrontar, de mudar, de crescer. É tarefa de uma vida inteira.
É preciso ainda lembrar que, sem a graça de Deus, toda ascese (disciplina espiritual) é vã. A iniciativa é de Deus! É o Espírito Santo quem conduz Jesus ao deserto. “Porque é Deus quem segundo o seu beneplácito, realiza em vós o querer e o executar.” (Fp 2, 13)

 

ENTRANDO NO DESERTO

 

Entre no deserto! Mas entre com a determinação de abrir-se à Palavra e à Graça de Deus. Ninguém julgue estar pronto para essa empreitada por si mesmo. Não temos que provar nada a Deus. Não temos que “obrigá-lo” a fazer algo por nós, pois suas ações em nosso favor são sempre amorosas. O jejum é uma prática voltada para nosso crescimento e não para um Deus que exige sacrifício. Jesus já realizou o único e definitivo sacrifício, oferecendo-se por todos nós na cruz (Hb 10, 10).

Os 40 DIAS nos lembram os 40 dias que Jesus esteve no monte das tentações. O tempo dedicado ao jejum é reservado para buscar o Senhor, mesmo em meio às atividades cotidianas. Em Mt 6, 1-18, vemos como Jesus indica o jejum, a oração e a esmola como sinais característicos da vida de um cristão fiel. Em alguns momentos de decisão, porém, somos convocados a intensificar nossa comunhão com o Senhor.

Outro fator importante em um tempo de jejum é o propósito que nos move a fazê-lo. Um jejum sem propósito definido é como vagar num túnel escuro, sem se saber de onde ou para onde se vai. Olhando as Sagradas Escrituras, encontraremos muitas razões que levaram as pessoas ao jejum. Se vamos jejuar temos que ter objetivos firmes e claros pelos quais lutar:

  • Estar com Deus; receber sua Palavra e alguma orientação concreta; interceder por alguém ou alguma situação; enfrentar o “inimigo” e suas tentações; etc...

 

COMO FAREMOS NOSSO JEJUM?

 

Jejuaremos às QUARTAS E SEXTAS-FEIRAS durante o período de nossa Campanha, como estará indicado no roteiro à frente. Mas, durante os 40 dias, evitaremos alimentos pelos quais buscamos mais saciar nosso gosto do que as necessidades de nosso organismo (doces, refrigerantes, excesso de frituras ou outros alimentos que constituem hábitos alimentares aos quais estamos apegados). Além disso, evitando extravagâncias, vamos escolher entre duas opções:

  • Iniciar a alimentação diária só a partir das 12h, ou simplesmente cortar uma das refeições do dia.

Cuidado somente para não “descontar” na próxima refeição para compensar o que não foi comido. Pessoas que fazem uso de medicação devem estabelecer o jejum em conformidade com o horário dos remédios, bem como aquelas com problemas de pressão alta, diabetes ou outro tipo de limitação de saúde ou restrição alimentar podem fazer jejum de televisão, conversas ou outras coisas. Mas lembre-se: inicialmente o jejum consta de algum sacrifício na alimentação.

 

A PALAVRA QUE NOS GUIA

 

"Foi para a Liberdade

que Cristo nos Libertou"

(Gl 5,1)

 

Nosso caminho oracional será com o Livro do Êxodo, que vem do grego exodus, que significa saída. Em hebraico ele é chamado de “Livro dos Nomes”, pois traz o nome dos filhos de Jacó que desceram para o Egito. O livro procura ressaltar a intervenção providencial de Deus na libertação e formação do povo eleito. Por isso, o autor sagrado deixa de lado as causas naturais dos acontecimentos e descreve tudo como ação milagrosa de Deus. Podemos dizer que este livro é ponto central do Antigo Testamento (AT), é o Evangelho do AT. Como nos Evangelhos, este livro contém a Boa Nova da libertação. A experiência fundamental do povo de Israel é a experiência de Deus Libertador.

Haverá em nossa meditação alguns capítulos que poderão parecer para alguns muito áridos e técnicos, descrevendo detalhes do culto e dos objetos de culto. Em tudo há um propósito e o acento está na adoração que os remidos devem dar a Deus, da forma como Ele determinou. Deus designou tudo para o tabernáculo. Como na vida, há trechos mais árduos, mas não desista e nem deixe de ler estes capítulos. Ao Tabernáculo (que significa tenda), lugar onde habita Deus – que para nós é Cristo – o cristão vê toda sua vida convergir!

A vivência do Êxodo é imagem de nossa saída da escravidão para a liberdade, da morte para a vida, no difícil aprendizado da obediência a Deus. Somos “um povo de cabeça dura”. Vá vencendo isto dentro de você. Assim, o tema de nosso caminho é a proclamação que vem do apóstolo Paulo (Gl 5, 1):

 

"Foi para a Liberdade

que Cristo nos Libertou"

(Gl 5,1)

 

Roteiro para a campanha “40 DIAS NO DESERTO COM JESUS” de Jejum e Oração

 

Oferecimento Diário da Oração e Jejum

 

Deus de nossos pais, bendito seja teu santo Nome.
Bendito sejas por este dia de oração (e jejum) que me dás.
Bendito sejas pela Palavra que é meu alimento.
Bendito sejas pela Aliança que fizeste com o povo de Israel.
Bendito sejas pela plenitude da Aliança realizada em Cristo Jesus.
Pelo Espírito Santo, dá-me viver o dia de hoje em comunhão contigo,
em atenção ao que se passa comigo
e vigilante diante dos desvios do caminho.
Inspira-me com tua luz, defenda-me com tua graça, santifica-me com teu amor.
Invoco o preciosíssimo Sangue de Jesus para que me guarde,
a intercessão de Nossa Senhora para que me valha e a proteção dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael
para que me acompanhe durante a jornada deste dia.
Em nome de Jesus. Amém

 

 

1º Dia: segunda-feira, 10 de março
Medite em Êxodo 1
Uma das formas que o inimigo usa para oprimir é atacar a família. Matar uma criança é ferir o coração da família. Foi isso que o faraó fez. Cultive, mesmo diante dos ataques do inimigo, sua fidelidade a Deus. Será ela que dará a você a vitória sobre o “faraó”.
Para guardar: “Porque elas haviam temido a Deus, Ele fez prosperar suas famílias.” (v. 21)

2º Dia: terça-feira, 11 de março
Medite em Êxodo 2
Deus tem um propósito, mesmo quando tudo parece impossível. Foi o que aconteceu com a criança salva das águas, Moisés. Ainda que pareça prevalecer a opressão, Deus jamais esquecerá de sua Aliança. Confie n’Ele e saiba que sua história está nas mãos providentes do Pai.
Para guardar: “Deus ouviu seus gemidos e lembrou-se de sua aliança com Abraão, Isaac e Jacó.” (v. 24)

3º Dia: quarta-feira, 12 de março
Dia de jejum
Medite em Êxodo 3
A passagem da sarça ardente tem sido reconhecida como um processo da alma que busca se aproximar de Deus. É preciso tirar as sandálias, esvaziar-se de si e aproximar-se d’Ele de uma forma nova. Do encontro com Deus brota a missão de Moisés. Sem encontro real, a missão padece de intimidade; sem missão, o encontro é apenas intimismo estéril.
Para guardar: “Tira as sandálias dos teus pés, porque o lugar em que te encontras é uma terra santa.” (v. 5)

4º dia: quinta-feira, 13 de março
Medite em Êxodo 4
Se Deus lhe pede algo, Ele o capacitará para tanto. Coloque o que você é e tem ao dispor do Senhor e deixe que Ele use você em sua obra. Não recue diante dos obstáculos; a mão do Senhor estará com você para guardá-lo.  Para tanto, procure ser obediente à sua Voz. “Senhor, que queres que eu faça?”
Para guardar: “Vai, pois, eu estarei contigo quando falares, e ensinar-te-ei o que terás de dizer.” (v. 12)

5º dia: sexta-feira, 14 de março
Dia de Jejum
Medite em Êxodo 5
Pode ser que os fardos pesem sobre você e que se multipliquem e você se sinta sobrecarregado. Leve estes fardos a Jesus e Ele trará alívio para sua vida. Pode ser que não seja você, mas alguém que você sabe que está sobrecarregado. Ore por esta pessoa. Deus é maior que o poder do “faraó”.
Para guardar: “Deixa ir o meu povo, para que me faça uma festa no deserto.” (v. 1)

6º dia: sábado, 15 de março
Medite em Êxodo 6
Deus renova com o povo de Israel a Aliança que fizera com Abraão e seus descendentes. Ele se compromete com seu povo, mas nem sempre encontra predisposição nos corações. Em Jesus, no seu Batismo, o Pai fez uma Aliança com você. E você? Tem vivido comprometidamente com o Senhor?
Para guardar: “Eu sou o Senhor; vou libertar-vos do jugo... e livrar-vos de sua servidão.” (6)

7º dia: domingo, 16 de março
Medite em Êxodo 7
As águas hoje são corrompidas pela ganância do homem que as exploram e deterioram. Há um rio em seu interior que, pelo poder do Espírito Santo, jorra para dar-lhe vida. O Espírito é a fonte, mas as águas correm como um rio nas diversas áreas de sua vida. Como você tem cuidado delas? Elas estão ficando envenenadas?
Para guardar: “Estenderei minha mão... e farei sair dele os meus exércitos, meu povo.” (v. 4)

8º dia: segunda-feira, 17 de março
Medite em Êxodo 8
Todos os acontecimentos são um convite para darmos ouvidos à voz de Deus e da natureza por Ele criada. Mas, como aconteceu com o faraó, também o coração dos homens parece endurecer-se cada vez mais. E o seu? Ore pela humanidade que, mesmo diante dos muitos sinais, continua indiferente ao amor e ao poder de Deus.
Para guardar: “Isso é o dedo de Deus!” (v. 19)

9º dia: terça-feira, 18 de março
Medite em Êxodo 9
Não é fácil superar a dureza de coração. É só olhar com atenção para o nosso interior e ver como ele se apega à mesquinharia. Com que dificuldade aprendemos, com que dificuldade nos convertemos. Por isso, a busca de conversão deve ser contínua. “Portanto, como diz o Espírito Santo: Se ouvirdes hoje a sua voz, não endureçais os vossos corações” (Hb 3, 7-8). Aí está o alerta da Palavra de Deus.
Para guardar: “Eu pequei. O Senhor é justo; eu e meu povo fomos culpados.” (v. 27)

10º dia: quarta-feira, 19 de março
Dia de Jejum
Dia de São José
Medite em Êxodo 10
Os gafanhotos também varreram Israel em outro momento da história (Joel 1, 4). Eles são o símbolo de tudo aquilo que corrói a vida, destruindo-a. A forma de combater o “gafanhoto” é viver na presença do Senhor e usar de sua autoridade. Repreenda o devorador na sua vida e na vida dos seus.
Para guardar: “Para que saibais que eu sou o Senhor!” (v. 2)

11º dia: quinta-feira, 20 de março
Medite em Êxodo 11
1. No presente momento de nossa história, joio e trigo convivem juntos. O bem e o mal, algumas vezes, parecem indistintos. O mau muitas vezes prospera, enquanto a pessoa de bem perece. Deus parece indiferente diante de tal realidade. Mas há uma promessa: a distinção será feita. Portanto, persevere no bem e afaste seu coração de toda iniquidade. Renove sua confiança no Senhor que sonda os corações e um dia julgará a cada um.
Para guardar: “Teus servos virão procurar-me e prostrar-se-ão diante de mim.” (v. 8)

12º dia: sexta-feira, 21 de março
Dia de Jejum
Medite em Êxodo 12
A instituição da Páscoa. É preciso estar de prontidão para provar a libertação. Corações leves e bem dispostos diante do que Deus vai operar. Jesus é o verdadeiro Cordeiro Pascal imolado por nós. Em Cristo somos livres. Mas há pequenas prisões que deixamos se estabelecerem em nossa vida. Do que você precisa se libertar? Coloque-se neste caminho de libertação. A graça divina virá em seu auxílio
Para guardar: “O sangue sobre as casas em que habitais vos servirá de sinal de proteção.” (v. 13)

13º dia: sábado, 22 de março
Medite em Êxodo 13
Siga seu caminho como consagrado ao Senhor, com sua Palavra no coração e sua bênção nos lábios. Você pode ter certeza que a promessa d’Ele se cumprirá em sua vida e sempre haverá uma “nuvem” pousando sobre você nos ardores da vida, e “fogo” para iluminar as horas mais trevosas. Hoje, você precisa mais de uma coluna de nuvens ou uma coluna de fogo?
Para guardar: “O Senhor ia adiante deles: de dia numa coluna de nuvens para guiá-los pelo caminho; e de noite numa coluna de fogo para alumiá-los; de sorte que podiam marchar de dia e de noite.” (v. 21)

14º dia: domingo, 23 de março
Medite em Êxodo 14
Para que as águas se movam é preciso dar o passo da fé. O cajado representa a divina autoridade e ela é dádiva de Deus. Todavia, o passo a ser dado é fruto da decisão pessoal em confiar naquilo que Deus diz. Sem a conjugação destes dois elementos, o mar não se abrirá, os obstáculos não serão superados.
Para guardar: “Não temais! Tende ânimo, e vereis a libertação que o Senhor vai operar. O Senhor combaterá por vós.” (vv. 13-14)

15º dia: segunda-feira, 24 de março
Dia de São Clemente Hofbauer, redentorista
Medite em Êxodo 15
Faça deste cântico de Moisés seu hino de louvor no dia de hoje. Tome posse da herança que Deus reservou, pela fé, para você. Como reza o versículo 8, o inimigo tem reivindicado nossa vida, mas, ao sopro do poder de Deus, ele perecerá no fundo do mar, como aconteceu com os demônios expulsos por Jesus (Mc 5). Deus há de plantar você no lugar que Ele, de antemão, preparou. No entanto, não deixe que a amargura tome conta de você.
Para guardar: “Eu sou o Senhor que te cura!” (v. 26)

16º dia: terça-feira. 25 de março
Festa da Anunciação do Senhor
Medite em Êxodo 16
O Maná no deserto é imagem do verdadeiro alimento que veio do céu, Jesus. Tenha em mente os dois textos paralelos. Seria bom que você hoje meditasse também em João 6. Hoje, Festa da Anunciação do Senhor, não deixe de participar do banquete eucarístico e, assim, receber o “pão da vida”.
Para guardar: “Todas as manhãs fizeram a sua provisão, cada um segundo suas necessidades.” (v. 21)

17º dia: quarta-feira, 26 de março
Dia de Jejum
Medite em Êxodo 17
Os dois relatos que nos são apresentados hoje são fortíssimos. Em Cristo, beba a verdadeira água que brota da Rocha Eterna que é Cristo. Como Moisés, exercite sua intercessão. Mesmo quando seus braços se cansarem, mantenha firme sua oração. Somos juntamente comissionados para nos mantermos firmes nesta missão que o Senhor nos confiou de intercedermos uns pelos outros. Por quem você intercede hoje?
Para guardar: “Quando Moisés tinha a mão levantada, Israel vencia, mas logo que a abaixava, Amalec triunfava.” (v. 11)

18º dia: quinta-feira, 27 de março
Medite em Êxodo 18
Na Obra de Deus cada um tem sua função. Jetro, sabiamente, aconselhou Moisés e este instituiu homens que lideravam o povo em suas questões. Cabia a Moisés o papel de ser o canal de comunicação junto ao Senhor. Qual é sua posição no Povo de Deus? Você também se sente responsável pela Obra do Senhor? Assuma seu lugar e dê o melhor de si naquilo que Deus lhe pede e a Comunidade lhe confia.
Para guardar: “O Deus de meu pai socorreu-me e fez-me escapar à espada.” (v. 4)

19º dia: sexta-feira, 28 de março
Dia de Jejum
Medite em Êxodo 19
O imponente Monte Sinai testemunha, ainda em nossos dias, a Aliança que Deus fez com Moisés e o Povo de Israel. Na Bíblia, subir ao monte é fazer o movimento de ir ao encontro de Deus. Para tanto, é preciso “lavar as vestes”, santificar-se, para dar espaço ao que Deus quer falar e fazer. Quando foi sua última confissão? Não espere o final da Quaresma para confessar-se.
Para guardar: “Toda a terra é minha, mas vós me sereis um reino de sacerdotes e uma nação consagrada.” (vv. 5-6)

20º dia: sábado, 29 de março
Medite em Êxodo 20
Os Dez Mandamentos não foram invalidados. Eles são não só uma coletânea de preceitos para viver na fidelidade a Deus, mas também uma norma de conduta social que ajudava e nos ajuda a viver no respeito ao outro e ao que é do outro. É bom lembrar que o mandamento de não fazer esculturas refere-se a não prestar culto a ídolos e não uma proibição genérica de fazer imagens. Lembre-se que a Bíblia traz passagens onde foram confeccionadas e usadas imagens (Nm 21,4-9; Ex 25,10-22; 1Rs 6,23-28; Sb 16,5-14; Jo 3,14-15).
Para guardar: “Uso de misericórdia até a milésima geração com aqueles que me amam e guardam os meus mandamentos.” (v. 6)

21º dia: domingo, 30 de março
1º dia do Cerco de Jericó – Tarde de Louvor a partir das 14h30
Medite em Êxodo 21
É preciso ler as prescrições apresentadas neste capítulo, e no subsequente, de uma forma contextualizada. Perceba como são preceitos extremamente justos e humanitários, numa época em que só os grandes tinham direitos. Pense, por exemplo, na escravatura que existiu no Brasil há não tantos anos assim e aquilo que se fala dos escravos. Você é justo em suas relações? Lembre-se do que Jesus disse: “Ouvistes o que foi dito: Olho por olho, e dente por dente. Eu, porém, vos digo que não resistais ao mau; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra” (Mt 5, 38-39).
Para guardar: “No sétimo ano sairá livre, sem pagar nada.” (v. 2)

22º dia: segunda-feira, 31 de março
2º dia do Cerco de Jericó – a partir das 15h, na Igreja da Glória
Medite em Êxodo 22
Relembre o que foi dito no dia de ontem. A propriedade não é apenas uma questão pessoal, mas tem uma função social. Não há paz verdadeira sem justiça social e sem o respeito ao que é do outro. Veja, por exemplo, os versículos 26 e 27. Para quem teme a Deus o viver em comum deve brotar de sua fé. Um lembrete: você tem consagrado fielmente ao Senhor o seu Dízimo? Não se esqueça de separar seu Dízimo para consagrá-lo ao final desta Campanha.
Para guardar: “Não tardarás a oferecer-me as primícias de tua colheita e de tua vindima.” (v. 29)

23º dia: terça-feira, 1º de abril
3º dia do Cerco de Jericó – a partir das 15h, na Igreja da Glória
Medite em Êxodo 23
Prosseguem os preceitos que devem orientar o Povo da Aliança. Ao final, uma maravilhosa promessa da atuação dos Anjos na vida daqueles que temem ao Senhor. Não há como separar a proteção que buscamos dos Anjos, da fidelidade à Aliança Divina. Se você ouvir a voz de Deus pode ter certeza de que os Anjos do Senhor irão à sua frente. Dedique especialmente o dia de hoje aos Anjos.
Para guardar: “Vou enviar um Anjo adiante de ti para te proteger no caminho e para te conduzir ao lugar que te preparei.” (v. 20)

24º dia: quarta-feira, 02 de abril
4º dia do Cerco de Jericó – a partir das 15h, na Igreja da Glória
Dia de Jejum
Medite em Êxodo 24
Por meio de Jesus temos pleno acesso a Deus. A distância foi superada. Ele não só é nosso Deus, mas é nosso Pai. Diz a Carta aos Hebreus 3, 5-6: “Moisés foi fiel em toda a sua casa, como servo e testemunha das palavras de Deus. Cristo, porém, o foi como Filho à frente de sua própria casa. E sua casa somos nós, contanto que permaneçamos firmes, até o fim, professando intrepidamente a nossa fé e ufanos da esperança que nos pertence.” Os quarenta dias que estamos vivenciando também se inspiram no tempo em que Moisés esteve na presença do Senhor.
Para guardar: “Faremos tudo o que o Senhor disse.” (v. 3)

25º dia: quinta-feira, 03 de abril
5º dia do Cerco de Jericó – a partir das 15h, na Igreja da Glória
Medite em Êxodo 25
Adoradores em espírito e verdade, somos constituídos para apresentar diante de Deus nossa vida como sacrifício santo, vivo e agradável a Deus (Rm 12, 1). Maria é a “arca” da Nova Aliança – Jesus – dada a nós. Participamos de uma forma única da “mesa dos pães” na Eucaristia. E que se mantenha aceso em nós o candelabro que simboliza as mensagens às Igrejas do Apocalipse (Ap 1, 20). Com qual Igreja nos identificamos neste momento de nossa vida? Aconselho a você ler hoje o Apocalipse, capítulos 2 e 3.
Para guardar: “Dize aos israelitas que me façam uma oferta. Aceitareis essa oferenda de todo homem que a fizer de bom coração.” (v. 2)

26º dia: sexta-feira, 04 de abril
6º dia do Cerco de Jericó – a partir das 15h, na Igreja da Glória
Dia de Jejum
Medite em Êxodo 26
A primeira coisa que faço ao entrar numa igreja é procurar a lâmpada vermelha que sinaliza a presença do sacrário, também chamado de tabernáculo. Ela indica que Jesus Sacramentado ali está, convidando a uma silenciosa e amiga visita. Paro pelo menos alguns instantes e saúdo o divino amigo. Diante do tabernáculo, muitos santos chegavam, até mesmo, a entrar em êxtase. Como está seu amor a Jesus Eucarístico?
Para guardar: “Esse véu servirá para separar o ‘santo’ do ‘santo dos santos’”. (v. 33)

27º dia: sábado, 05 de abril
7º dia do Cerco de Jericó – Tarde de Louvor a partir das 14h30. Missa às 18h.
Medite em Êxodo 27
A leitura dos detalhes prescritos para cada um dos elementos litúrgicos pode parecer exaustiva e desnecessária, mas leve em conta o cuidado que se deve ter pelas coisas de Deus. Se assim deve ser o zelo pelas “coisas sagradas”, quanto mais em relação ao nosso interior, visto que somos templo onde habita Deus (1Cor 3, 16). No altar de seu coração deve permanecer sempre crepitando a chama da adoração.
Para guardar: “Prepararão esse óleo para que ele queime desde a tarde até pela manhã em presença do Senhor.” (v. 21)

28º dia: domingo, 06 de abril
Medite em Êxodo 28
Pelo Batismo fomos revestidos das vestes sacerdotais para estarmos diante de Deus. “Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo” (Gl 3, 26-27). Como temos trazido estas vestes? Podemos dizer que em nós também está gravada a inscrição “Santidade a Javé” (Ex 28, 36)? Que se renove em nós esta graça e, assim, possamos celebrar a Páscoa do Senhor que se aproxima.
Para guardar: “A fim de que sejam sacerdotes a meu serviço.” (v. 41)

29º dia: segunda-feira, 07 de abril
Medite em Êxodo 29
Estamos percorrendo o caminho de nossa consagração batismal. Também nós fomos marcados pelo óleo do crisma e foi-nos comunicada a tríplice missão: real, profética e sacerdotal. É o sacerdócio comum dos fiéis. “... no sacerdócio de Aarão e no serviço dos levitas, assim como na instituição dos setenta ‘Anciãos’, a liturgia da Igreja vê prefigurações do ministério ordenado da Nova Aliança.” (Catecismo da Igreja Católica, 1541). Ore pelos sacerdotes que você conhece. Ore pelas vocações sacerdotais.
Para guardar: “Tomarás o óleo de unção e o ungirás, derramando-o sobre a cabeça.” (v. 7)

30º dia: terça-feira, 08 de abril
Medite em Êxodo 30
“Somos para Deus o perfume de Cristo entre os que se salvam e entre os que se perdem. Para estes, na verdade, odor de morte e que dá a morte; para os primeiros, porém, odor de vida e que dá a vida” (2Cor 2, 15-16). Este perfume, na alma do crente, é como o incenso que só tem o seu perfume liberado pelo toque do fogo. O altar é o seu coração, o incenso sua adoração e o fogo é o Espírito Santo. Se você assim desejar, faça sua oração hoje, usando o incenso.
Para guardar: “Haverá, desse modo, incenso diante do Senhor perpetuamente nas gerações futuras.” (v. 8)

31º dia: quarta-feira, 09 de abril
Dia de Jejum
Medite em Êxodo 31
Somos operários na obra do Senhor e, para tanto, o Espírito Santo distribui os dons para que cada um os exerça conforme a vontade de Deus e para o crescimento da Comunidade. Entre estes dons estão os carismas (conf. 1Cor 12 – 14), mas existem outros muitos dons de serviço no interior da Comunidade. Você tem colocado seus dons a serviço de Deus e de nossa Comunidade Paroquial?
Para guardar: “Eu o enchi do espírito divino para lhe dar sabedoria, inteligência e habilidade para toda sorte de obras.” (v. 3)

32º dia: quinta-feira, 10 de abril
Medite em Êxodo 32
Não demorou muito e o coração do povo se endureceu e afastou-se do Senhor.  Diante do bezerro de ouro, note que Moisés, depois de queimá-lo, o triturou e fez que todos bebessem daquele pó. Era preciso assimilar, até às entranhas, a infidelidade para poder mudar. Lembremo-nos da exortação de Paulo: “aquele que está de pé, cuide para não cair” (1Cor. 10, 12). Cultive sempre a vigilância!
Para guardar: “Vejo que esse povo tem a cabeça dura.” (v. 9)

33º dia: sexta-feira, 11 de abril
Dia de Jejum
Medite em Êxodo 33
Para mim, este é o capítulo mais terno e íntimo de todo o livro do Êxodo. Deus mais uma vez mostra sua invencível misericórdia, mesmo diante de um povo de cabeça dura. Da parte de Moisés, uma abertura plena de alma. Perceba que a iniciativa é de Deus, que se entretém com ele como um amigo que se dá a conhecer. Peça ao Espírito Santo que o leve a uma profunda intimidade com o Pai, em Jesus. Converse familiarmente com Deus
Para guardar: “Conheço-te pelo nome. Tens todo o meu favor.” (v. 12)

34º dia: sábado, 12 de abril
Medite em Êxodo 34
Vez após vez, Deus renova a Aliança com seu povo e este a quebra. É uma longa trajetória de idas e vindas. Ao longo da história, Ele envia seus profetas para alertar, mas, sobretudo, para chamar o povo de volta. Foi em Jesus que esta Aliança foi feita de forma definitiva. Tenha hoje em seu coração estas duas palavras que estão no texto: bondade e fidelidade. Quanto mais elas estiverem em sua vida, mais você irá transmitir o brilho da presença divina.
Para guardar: “Vou fazer uma aliança contigo.” (v. 10)

35º dia: domingo, 13 de abril
Domingo de Ramos
Com a ressurreição de Jesus no primeiro dia, os cristãos começaram a guardá-lo como o “dia do Senhor” (Dies Domini), daí Domingo. O Beato João Paulo II escreveu uma belíssima Carta Apostólica com este nome, versando exatamente sobre o domingo. Você tem guardado o dia do Senhor? Nada melhor do que renovar esta consciência neste Domingo de Ramos.
Medite em Êxodo 35
Para guardar: “Todas as pessoas de boa vontade e de coração generoso vieram trazer as suas ofertas ao Senhor.” (v. 21)

36º dia: segunda-feira santa, 14 de abril
Medite em Êxodo 36
Beseleel: um personagem bíblico desconhecido entre nós. Não obstante, seu caráter e seus dons foram de suma importância na Obra de Deus. Ele foi um líder importante que trabalhava e fazia trabalhar. Examine a forma como você tem servido a Deus. Quantos, infelizmente, trabalham displicentemente em nossas Comunidades, sem o zelo deste homem.
Para guardar: “O povo continuasse, cada manhã, a trazer espontaneamente ofertas.” (v. 36)

37º dia: terça-feira santa, 15 de abril
Medite em Êxodo 37
“Beseleel fez...” O que você já fez em sua vida? O que tem construído de concreto e como isto está conjugado com sua fé? Algumas tantas coisas deixamos de fazer porque não damos o ritmo necessário ao dia a dia. Aí, não adianta aquele “se” tantas vezes dito: se eu soubesse; se eu tivesse feito aquilo... Já estamos no quarto mês do ano. Como andam seus projetos?
Para guardar: “Beseleel fez...” (v. 1)

38º dia: quarta-feira santa, 16 de abril
Dia de Jejum
Medite em Êxodo 38
O altar e o átrio. Se somos templo onde habita Deus, podemos tomar todos os elementos da tenda do Senhor como simbolismo do nosso próprio ser. O altar é o nosso coração. Ali oferecemos nossa vida em holocausto ao Senhor. O átrio é a parte mais externa e simboliza nosso corpo. Em cada área de nossa vida o cuidado e o cumprimento da vontade de Deus devem se exercer. Nada deve ficar de fora. No centro, deve estar o altar. Pense nisto.
Para guardar: “Fez o altar dos holocaustos de madeira de acácia.” (v. 1)

39º dia: quinta-feira santa, 17 abril
Medite em Êxodo 39
Jesus é o tabernáculo de Deus entre os homens. É o sumo e eterno sacerdote, oferecendo um único sacrifício pela redenção de nossos pecados. É o altar onde nossa vida é oferecida. Fez de sua vida o próprio sacrifício, que se tornou agradável a Deus por sua obediência. Assim, todo o livro do Êxodo aponta para Jesus que se entregou e, hoje, como Sacerdote, nos dá a Eucaristia. “É por isso que lhe é possível levar a termo a salvação daqueles que por ele vão a Deus, porque vive sempre para interceder em seu favor” (Hb 7, 25).
Para guardar: “E Moisés os abençoou.” (v. 43)

40º dia: sexta-feira santa, 18 de abril
Dia de Jejum e abstinência de carne
Medite em Êxodo 40
Dentro do átrio, encontrava-se o tabernáculo propriamente dito ou a tenda da Presença de Deus. Havia uma única entrada para o átrio, com 10 metros. Esta entrada tinha uma cortina com as seguintes características: linho retorcido, estofo azul, púrpura e carmesim. Uma única entrada: Jesus, o único Salvador. “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (Jo 14, 6); 10 metros: entrada ampla para todos; 4 Colunas: simbolizando os 4 evangelhos; linho retorcido: simboliza o sofrimento de Jesus; estofo Azul: representa a divindade de Cristo; púrpura: a realeza de Cristo como soberano Rei e Senhor; carmesim (vermelho): tipifica o Sangue de Cristo. Assim, o livro do Êxodo, que começou falando da morte de José no Egito, termina com a consagração do Tabernáculo. Tudo converge para o tabernáculo. Tudo converge para Jesus que por nós entregou sua vida e nos salvou, fazendo-nos morada de Deus!
Para guardar: “Então a nuvem cobriu a tenda de reunião e a glória do Senhor encheu o tabernáculo.” (v. 34)
 

 

Faremos a entrega deste tempo de jejum e oração no Domingo de Páscoa, dia 20/04, participando da Procissão da Ressurreição com o Santíssimo Sacramento, às 18h30, saindo da Capela São Roque até a Matriz, onde acontece a Solene Missa da Páscoa!

Jesus é o nosso Êxodo, nossa saída das trevas para a luz, da morte para a vida. É Ele nossa libertação, tornando-nos tabernáculos de Deus. Alegre-se e viva a Vida Nova em Cristo Jesus!

Nesse dia, não se esqueça de trazer pelo menos UM QUILO DE ALIMENTO NÃO PERECÍVEL para partilhar com nossos irmãos mais carentes e CONSAGRAR O SEU DÍZIMO como sinal concreto de seu compromisso com o Senhor e a Comunidade.

 

 

Um abençoado Caminho Quaresmal e FELIZ PÁSCOA!
Saúde e Paz!

Twitter Facebook Orkut Messenger
Linked Yahoo Meme Google Buzz Delicious
mySpace Blogger Sonico Digg

Este recurso será liberado em breve. Aguardando validação do servidor.

dados do(a) autor(a)
Padre Sérgio
 
twitter.com/padresergioluiz
facebook.com/falecompadresergio
padresergio.com
Pe. Sérgio é sacerdote Redentorista. Atualmente pároco em Juíz de Fora na Igreja da Glória. Procura guiar o seu ministério levando as pessoas a experimentarem a...
12 últimas atualizações
Contato

Paróquia da Glória
Avenida dos Andradas, 855 - Morro da Glória
CEP: 36036-050 - Juiz de Fora (MG)
Telefone: (032) 3215-1831
Siga-me nas redes sociais

Dados Técnicos

Este web site utiliza as tecnologias como HTM5 e CSS3 e é compatível com os seguintes navegadores:
Sistema web desenvolvido por:
Copyright © 2012 Todos os direitos reservados.